ARKit: a realidade aumentada da Apple

O lançamento do iOS 11 apresenta uma nova estrutura que permite desenvolver experiências de realidade aumentada ​para iPhones e iPads.

Chamado de ARKit, ele combina os dados do sensor de câmera com os dados do CoreMotion. Essas duas entradas permitem que o dispositivo perceba como ele se move dentro de um ambiente com bom grau de precisão e sem qualquer calibração adicional.

Para o desenvolvimento de aplicativos criativos, o ARKit está provando ser muito útil. Podemos integrar a câmera do dispositivo iOS e recursos de movimento para produzir experiências de realidade aumentada em aplicativos e jogos.

Veja o exemplo no vídeo do aplicativo para iniciantes em dança.



O CEO da Apple, Tim Cook, disse que, sem dúvida, “se tornará muito grande”, acrescentando que a realidade aumentada tem o potencial de mudar o mundo, assim como aconteceu com os smartphones.

Esse tipo de funcionalidade interativa pode ser ainda mais revolucionária por um simples motivo, existem boatos que a Apple está trabalhando em um óculos de realidade aumentada. Desta forma, as mãos do usuário estariam livres para controlar o mundo aumentado na sua frente.


Fonte da imagem: USPTO

Já no Android, o Visual Positioning Service (VPS) é o sistema para mapear ambientes internos usando as principais tecnologias da plataforma Tango: rastreamento de movimento, área de aprendizado e percepção de profundidade. Obviamente, o Google dependerá de mais fabricantes que incluam o hardware Tango em seus dispositivos.

Todos os sinais apontam para grandes possibilidades de desenvolvimento da realidade aumentada, porém, temos que aguardar.
BLOG
Leia mais sobre as novidades do Mercado.