Como aplicar um MVP na prática e ter resultado

como montar mvp


Como o próprio nome diz, o Produto Mínimo Viável (MVP) é a versão de um produto com as mínimas características necessárias para ser validado no mercado. O conceito do MVP é útil para o começo de uma nova ideia, pois permite que os idealizadores testem suas hipóteses e verifiquem se elas realmente fazem sentido. Ou seja, mais importante que criar o produto da melhor maneira possível, é preciso ter certeza de que aquele é o produto certo.


Mas como aplicar um MVP? Tentando resumir em um parágrafo, primeiro, defina o público para o qual o produto/serviço se dirige. Em seguida, liste e descreva as funcionalidades que acredita serem fundamentais para o negócio. Este é um ponto bem importante pois norteia como a atividade relacionada ao produto é feita atualmente e mostra as vantagens que o MVP oferece. No final, defina a plataforma que será utilizada para atingir estes objetivos — se é um aplicativo e/ou site, por exemplo.


Mesmo que você não implemente a plataforma ideal no início, trabalhe com o objetivo de reaproveitar ao máximo a estrutura que foi montada, diminuindo o re-trabalho e investimentos desnecessários.


Mas será que todo idealizador conhece o seu público? Para melhorar o entendimento, crie até 3 perfis de pessoas que seriam potenciais clientes (vamos chamar de personas) do seu negócio. Como se fosse uma historinha da vida de cada uma destas personas. O que fazem, quais seus hobbies, como se divertem, etc. Com a jornada pronta, identifique em quais momentos ela irá interagir com a sua plataforma.


E aí? As funcionalidades pensadas atenderam as demandas do dia a dia das personas? Se sim, é hora de colocar em ordem de importância estas funcionalidades. Perceba que neste momento você já está definindo a prioridade do desenvolvimento?


As chances são altas de um MVP indicar que a sua ideia de negócio não é maravilhosa. Mas não desanime. Aqui no PubliMobile aproveitamos os anos de experiência dos profissionais para contribuir com o seu negócio. O idealizador deve se lembrar que este é o momento de construir, testar e aprovar. Sem medo de errar.


Aliás, existe mais de um tipo de MVP, seguindo a nomenclatura do Paulo Caroli.


Tipos de MVP




Papel: desenhos/esboços feitos à mão, normalmente com uma interface para usar como protótipo. É a mais fácil para um idealizador começar a colocar a sua ideia no papel. Fácil de fazer, visual, cria entendimento compartilhado. Mas atenção, este tipo de MVP não valida a hipótese. E como aplicar um MVP.


Protótipo interativo: é uma maquete interativa, com a possibilidade de você clicar nas telas e navegar. Mais avançado que a anterior (MVP do papel), mesmo assim, não testa a hipótese ou a tecnologia que deve ser aplicada.


Concierge: utilizada mais com serviços – ao invés de produtos -, que manualmente guia o seu cliente por todo o fluxo. Por ser um processo manual e humano, a escalabilidade é limitada e o cliente tem ciência do envolvimento humano. Quer um exemplo? Os fundadores do AirBnB oferecendo camas infláveis para clientes durante a Convenção Democrática Nacional nos Estados Unidos.


Mágico de Oz: mesmo que por trás o processo continua sendo todo manual – como no caso do MVP Concierge -, neste tipo, as funções manuais não tem o conhecimento do cliente. Também é difícil criar escala neste processo. Mas como a pessoa que assume o papel do contato direto com o cliente – normalmente o idealizador -, consegue trazer insights importantes. Quer um exemplo? O começo do EasyTaxi.


Micronicho: reduzir os recursos da plataforma ao mínimo e direcionar tráfego pago – como os anúncios no Google, Facebook ou Instagram – para descobrir se os clientes estão interessados ou dispostos a pagar pelo seu produto. Neste caso, é necessário um investimento inicial nos anúncios.


Software em operação: seu projeto no ar para resolver o problema – independentemente da plataforma. Mesmo sendo o ponto mais caro destes tipos de MVP, funcionam muito bem para determinados projetos.


O conselho é “cada caso é um caso”. Não existem fórmulas prontas. Por isso, no PubliMobile não temos pressa, ouvimos atentamente o idealizador para poder ajudá-lo da melhor forma possível.


Você já ouviu falar do Dropbox? Nele você pode salvar arquivos, documentos, fotos, além de criar subpastas e compartilha-las com quem quiser. Quando tudo começou, o conceito do produto não era fácil de ser explicado e o protótipo para demonstração dependia da resolução de diversos problemas técnicos. Então, qual foi a solução? Um vídeo!


O atual CEO do Dropbox narrou um vídeo simples de demonstração e o direcionou a um público bem específico. Quer saber o resultado?O vídeo viralizou e a lista de espera para receber a primeira versão foi de 75 mil pessoas. Neste caso, o vídeo foi o MVP.


Entendeu porque é tão importante analisar cada caso e fugir de fórmulas mágicas?



BLOG
Leia mais sobre as novidades do Mercado.